Hércules Azevedo Desejo Poetizar
Vivo poetizo
Textos
Bocas
Minha boca, sua boca, tantas bocas que não beijam.
Estão com medo...
Algumas bocas insistem em manter segredo.
Não sabem o sabor de um beijo.

Bocas sujas, imundas, o que falam ninguém deveria escutar.
Elas insistem em insultar.
Bocas de fumo em súbito mundo
a se drogar.
Estão tão perdidas que deixam
a vida no tempo vagar.

Bocas tristes, insólitas,
tortas quase mortas
não têm o que esperar.
Bocas com fome
procuram outras bocas
que saibam doar.
Bocas velhas, banguelas,
tagarelas, estão elas...
caladas não podem ficar.

Bocas pintadas, amargas,
Cheia de amarras
não sabem argumentar.
Bocas distintas, a dele maldita. Está sim! Sabia o que criticar.
Abri a boca, e depois escrevi
do meu jeito usei a boca e falei.
Hércules Azevedo
Enviado por Hércules Azevedo em 18/07/2020
Comentários
Site do Escritor criado por Recanto das Letras