Hércules Azevedo Desejo Poetizar
Vivo poetizo
Textos
Janela meio aberta
A pandemia segue seu curso,
Febre, dor de cabeça, falta de ar… mas ela não foi aberta.
Construíram um lindo prédio, de arquitetura magnética, mas esqueceram dela.
O ar é preciso, ele mantém a vida esperta, sem ela... o ar não renova, não
penetra.
De minha casa vejo tudo… deixou ela sempre discreta! Nos dias de hoje... mantenho ela meio aberta.
Hércules Azevedo
Enviado por Hércules Azevedo em 18/07/2020
Comentários
Site do Escritor criado por Recanto das Letras